Coleções

Salva de vinte e seis gomos em prata portuguesa. Centro liso com moldura periférica relevada, lisa e com a orla recortada definindo gomos côncavos sulcados em dimanação do centro.

D574 “Gato"1956

Cómoda D. João V, de três gavetões em pau-santo maciço, com frente e ilhargas onduladas e decorada com motivos entalhados. Tampo rectangular, liso e recortado, levemente moldurado, acompanhando o movimento da frente e das ilhargas com cantos dianteiros arredondados. Gavetas com frentes lisas e com embutido desenhando moldura periférica de filete, com motivo floral nos cantos. Saiais recortados e muito desenvolvidos, decorados com elementos rocaille de disposição simétrica, volutas e enrolamentos vegetalistas.

Elegante mesa em pau-santo de bonita vergada, datada do período de transição do reinado D. João V para o de D. José. Ao primeiro olhar são as proporções que despertam a singularidade desta peça de dinâmico tratamento formal e elegância. O tampo é rectangular, liso e recortado, moldurado, acompanhando o movimento ondulante da frente e ilhargas, em perfeita sintonia. A frente com duas gavetas rematadas por friso periférico e saial recortado e entalhado com concha e folhagem.

Requintada adaga em ouro, diamantes, esmeraldas e rubis, de um só gume com lâmina em aço damasquino. O punho apresenta um extraordinário trabalho de incrustação de gemas, com 222 rubis, 36 esmeraldas e 22 diamantes em ouro de 24k, formando na zona central uma flor de sete pétalas. As zonas laterais do encaixe exibem delicados frisos a ouro cinzelado com requintados motivos vegetalistas – flores e folhas.

Elegante cafeteira Josefina com três pés, em prata portuguesa. Em forma de pêra alongada, decorada com ramos de flores, folhagens e entablamentos arquitectónicos recurvos, com uma decoração de dinâmica expressão plástica, muito ao gosto da época. No bojo, a decoração é composta por um ramo florido central, com um cercadinho de flores com ramagem.

F768Teca entalhada, lacada e dourada Arca em madeira exótica com tampo superior de levantar e duas gavetas; decoração relevada, lacada a negro, vermelho e ouro. Exterior com motivos em talha baixa em todas as faces, delimitadas por molduras lisas, revelando uma alta qualidade de trabalho, e revestida a laca negra enriquecida a ouro com a finalidade de enobrecer e de realçar a tridimensionalidade do objecto.

“Le Rève Argenté”

Paris 1967

Pequeno contador de mesa com duas portas, em madeira leve. Caixa e portas cobertas com placas translúcidas de tartaruga, sob as quais é possível ver finas folhas de ouro, com o intuito de obter maior luminosidade e contraste. Interior com quatro gavetas em laca negra com decoração vegetalista a ouro. Como habitual neste tipo de objectos, a pintura e materiais mais sensíveis ficavam no interior para uma melhor proteção e conservação.

Páginas