Coleções

Cómoda D. João V, de três gavetões em pau-santo maciço, com frente e ilhargas onduladas e decorada com motivos entalhados. Tampo rectangular, liso e recortado, levemente moldurado, acompanhando o movimento da frente e das ilhargas com cantos dianteiros arredondados. Gavetas com frentes lisas e com embutido desenhando moldura periférica de filete, com motivo floral nos cantos. Saiais recortados e muito desenvolvidos, decorados com elementos rocaille de disposição simétrica, volutas e enrolamentos vegetalistas.

Rara garrafa periforme em porcelana da china decorada a azul sob o vidrado, com três reservas: uma sem preenchimento, outra com as cinco chagas de Cristo e a última com as armas da Ordem de São Francisco, com a divisa INRI – Jesus Nazareno Rei dos Judeus. O colo tem decoração em ponta de lança sobre filete e friso de folhagem.

Tampa em prata, decorada com mesmo friso de folhagem, posterior.

Par de Leões de Fô em porcelana vidrada sobre biscuit decorados com esmaltes da “Família Verde”, numa grande exuberância cromática. De grandes olhos, mostrando um olhar feroz e com grandes orelhas, ambas amovíveis, boca vazada com língua exposta, traduzindo uma expressão impiedosa.

Belo trabalho escultórico cíngalo-português em marfim.

Nossa Senhora com coroa aberta, de pontas serradas e aro com friso, cabelos formando madeixa em ogiva nas costas, em ondulado muito fino; face oval, olhos amendoados e de boca sorridente. O corpo é achatado, veste túnica com pregas finas e gola rendilhada, com manto de orlas caindo em sinusóides; o panejamento de Nossa Senhora conflui num enlace tendo como centro Jesus Menino, que segura na mão esquerda, na direita uma flor de ashoka que oferece ao Menino.

Cofre de secção octogonal, em filigrana de prata, trabalho goês do séc. XVII, totalmente decorado com elementos que se enrolam e se cruzam ao gosto oriental. Na tampa, monograma coroado ao centro, inserido numa orla redonda, ladeado por “CC” e “SS” encostados e volutas, de onde partem enrolamentos fitomórficos.

Placa de marfim preenchida pelo busto da Virgem com o Menino. Nossa Senhora apresenta rosto afilado, olhos amendoados, cabelos com madeixas, túnica de pregueados leves e longo manto drapeado sobre a cabeça. O Menino Jesus encontra-se despido, sentado no braço direito da Virgem. 

Canudo de botica ou manga de farmácia, em faiança portuguesa de formato cilíndrico ligeiramente cintado, decorado com padrão de desenho miúdo, a azul-cobalto e vinoso de manganês, sobre esmalte branco. No bojo, cartela barroca larga oblíqua, com a inscrição na tarja MIRABELET, circundada por paisagem de rochedos e vegetação e um grande pássaro em pleno voo. O corpo está limitado por larga barra de gregas avivada por friso, que faz a transição para a base e para o bordo.

Cafeteira neoclássica em prata portuguesa de invulgar dimensão e grande elegância. Corpo gomado, definido por caneluras que alternam com superfícies lisas. Base redonda com cercadura de continhas e ornamentada por canelados côncavos que continuam pela base do bojo.

Bico desenhando colo de cisne, ornamentado com duas fileiras de finos perlados e uma folha de acanto junto à boca. Pega em pau-santo, esculpida com apoio para o polegar em forma de crescente.

Pequena taça em ágata matizada e de tons fumados que tem como característica principal o facto de ser entalhada de um único bloco de mineral. As ágatas são uma das muitas formas da calcedónia, um tipo de quartzo onde se incluem também as cornalinas e os heliotrópios.

Importante arca de grandes dimensões, de formato paralelepipédico, em madeira de angelim com tampo plano de abater, trabalho indo‑português do século XVI.

Páginas