Coleções

Raro e original recipiente em prata portuguesa do século XVII, concebido como uma escultura de cariz naturalista representando um mocho, peça de que se conhecem muito poucos exemplares e que teria sido utilizada durante o culto religioso. É constituído por duas partes: a tampa, em forma da cabeça da ave e o receptáculo, com a fisionomia do corpo do pássaro de pé sobre as patas e com as asas sobrepostas sobre a cauda. O bico é adunco e os olhos têm material vítreo branco e preto incrustado.

Excepcional arcaz indo-português, executado pelos carpinteiros reinóis Diogo Moniz e Manuel Rodrigues (1620–1635), responsáveis pela marcenaria da Igreja de Nossa Senhora da Graça, do Convento de Santo Agostinho, no Monte Santo, em Velha Goa, constituído por dois corpos em teca com molduras de ébano. Frente com duas portas laterais decoradas com “Águias Bicéfalas” – Insígnia da Ordem de Santo Agostinho, embutidas em ébano e com pregaria, ladeadas por quatro gavetões com molduras de ébano recortadas.

C427 Raríssima garrafa – aquamanil – em faiança portuguesa da primeira metade do séc.
XVII, coberta de esmalte branco e pintada a azul‑cobalto.
Peça, moldada e modelada, com cabeça de burro,corpo feminino e cauda de peixe. A parte
humana revela pescoço alto, ombros largos,tronco em barril e peitos fartos. Da base
emerge uma longa cauda enrolada que termina junto à cabeça, desenhando a pega.
Está profusamente decorada com elementos vegetalistas, enrolamentos, composição de flores e “rede”, simulando a vestimenta estilizada da figura.

Importante cafeteira neoclássica em prata portuguesa de António Firmo da Costa, com corpo em forma de balaústre, elevado por pé circular. Corpo liso com canelados côncavos e cintura com cercadura requintadamente gravada de motivos florais e com duas reservas lisas, junto ao bojo, limitada por faixas estriadas, e que se prolonga por um colo longo liso.

Cafeteira de três pés D. José em prata portuguesa. Corpo modelado num formato piriforme, característico do período rocaille. No bojo, decoração rocaille cinzelada, usando motivos fitomórficos, rosas, concheados e volutas plenas de movimento, destacando-se um medalhão central emoldurado por duas longas aletas.

Cómoda D. José de dois gavetões, em pau-santo maciço. Tampo rectangular, liso e levemente moldurado, acompanhando o movimento da caixa. Frente e ilhargas abauladas, com curva e contracurva. Gavetas lisas e com moldura periférica. Saiais frontal e laterais recortados “em chaveta”, simétricos. Pernas galbadas terminando em pés de garra e bola.

Puxadores e espelhos de fechaduras em metal recortado e vazado decorado com elaboradas composições rocaille.

Rara placa em marfim esculpido em médio e baixo-relevo, de excelente qualidade escultórica, representando o tema iconográfico cristão denominado Pietà (Piedade), centrada no corpo de Cristo, amparado pela Virgem Maria, ladeados por dois anjos.

"Sombras Projectadas de Christine e Samuel Bouri"

1966

Páginas