Coleções

Excepcionais bases de tocheiros indo-portugueses, em teca entalhada e policromada. Pernas em forma de anjo, assente sobre voluta e terminando em pé de garra; as cabeças dos anjos sustentam tampo triangular. Painéis decorados com elementos vegetalistas e volutas, com reservas centrais representando Querubins e IHS – Insígnias da Companhia de Jesus.

B139 - Invulgar par de castiçais em prata dourada, fabrico Nórdico, possivelmente Alemanha, dos finais do seculo XVI, inícios do século XVII.

Base circular com fustes bojudos e decoração relevada de “frutos, folhagens e flores-de-lis”que se prolongam por contas e gomos de cariz geométrico, intercalados até ao copo. Junto das arandelas sobressaem três aletas em curva e contracurva suportadas por bolacha com mascarões repuxados e cinzelados. O copo oitavado intercala flores de lótus com faces lisas.

Elegante adaga de formato delicado, com cabo feito de placas lisas de marfim fixadas por rebites e enriquecido com rubis em cabochon encastoados a ouro com técnica de Kundan, desenhando um friso.
Lâmina em aço de elegante formato em ferrão de escorpião, assemelhando-se à das tradicionais "Bichawas".

Aço, marfim, ouro e rubis
Índia, séc. XVIII
Dim.: 22,0 cm

Excepcional par de cómodas da época D. José I, em pau-santo maciço ricamente entalhado, com fundos em vinhático e ferragens em bronze ao gosto rocaille. O tampo é liso e emoldurado, acompanhando frente e ilhargas onduladas com quebras em curva e contracurva. Corpo com duas gavetas e três gavetões, que possuem frentes lisas e moldura dupla, com exuberantes ferragens em bronze.

Invulgar Banca ou Mesa indo-portuguesa do séc. XVII, em teca e pau-santo com embutidos e guarnições em marfim e ébano. Decoração estilizada representando composições de motivos vegetalistas, animais e arabescos. Tampo profusamente decorado, a partir de uma rosácea central estilizada, limitada por duplo círculo com padrão geométrico de losangos alternando também com círculos, a partir dos quais irradiam de forma centrípeta ânforas com elementos vegetalistas estilizados.

Taça esculpida a partir de um único bloco de cristal-de-rocha particularmente límpido, de formato oblongo com 8 gomos em torno de uma flor central, simulando um trevo de quatro folhas. A sua beleza repousa num jogo de superfícies lisas, ritmicamente marcadas por gomos.

Na Índia Mogol havia uma predileção pelos objetos preciosos e delicados, esculpidos em pedras duras tais como o jade, a ágata e o cristal-de-rocha, por vezes ornamentados posteriormente com ouro e pedraria.

Menino Jesus de grandes dimensões em marfim, do século XVII.

Páginas