Coleções

Ébano, osso e corda de Manila
Norte da Índia ou Sinde, séc. XVII
Dim.: 124,0 x 58,0 x 50,0 cm

Prov.: Colecção particular, Lisboa

Ind-Afro-Portuguese Chair
Ebony, bone and cotton cord
Northern India or Sindh, 17th century
Dim.: 124,0 x 58,0 x 50,0 cm

Prov.: Private collection, Lisbon

Tecido em damasco de fio de seda e aplicação de lantejoulas prateadas. Bordado direto com pontos de ouro em fio de papel laminado prateado, com alma em seda e cordão do mesmo fio.

Prato em faiança portuguesa da primeira metade do séc. XVII, com covo pouco acentuado e aba levantada, esmaltado a branco de estanho e decorado a azul-cobalto e vinoso de manganês, inspirada na porcelana chinesa Kraak do reinado Wanli, dinastia Ming.

Par de taças globosas em forma de barca, constituídas por duas calotes ovóides de madrepérola de Turbo marmuratus, unidas por placas rectangulares. Bordo com fino perlado terminando em cabeças de makara. Assentam sobre bases ovaladas.

Par de potes com tampa, em forma de balaústre, com colo curto rematado por rebordo arredondado, em porcelana branca com decoração azul-cobalto e revestido de vidrado levemente azulado, do período Kangxi. O bojo ostenta, uma decoração com padrão cerrado de elementos vegetalistas e com grandes flores onde se destacam crisântemos e peónias – a rainha das flores, simbolizando a Primavera, associada à boa sorte e riqueza.

Adaga tradicional com lâmina em aço de um só gume, de forma plana e ligeiramente curva.
O cabo apresenta motivo zoomórfico de cabeça de leão, executado em prata relevada e cinzelada com olhos em cabochons de rubi, detalhe que lhe confere um forte carácter realista. Este detalhe decorativo sugere que esta adaga deverá ter pertencido a um alto dignitário da corte Mogol.

A sua forma particular identifica-se com os kagamibuta, literalmente "tampa em espelho", fazendo lembrar um manju ou doce tradicional de forma redonda, dado que a parte superior, normalmente em metal, faz lembrar um espelho.

Páginas