Coleções

A296 Invulgar Banca ou Mesa indo-portuguesa doséc. XVII, em teca e pau-santo, com embutidos e guarnições em marfim e ébano e decoração estilizada representando composições de motivos vegetalistas, animais e arabescos.Tampo profusamente decorado, a partir de uma rosácea central estilizada, limitada por duplo círculo com padrão geométrico de losangos alternando também com círculos, a partir dos quais irradiam de forma centrípeta ânforas com elementos vegetalistas estilizados.

C538  Faiança Portuguesa Invulgar peça em faiança portuguesa do século XVII, representando baú de caracter artesanal, apoiado sobre patim incorporado, com cabeça de animal fantástico, com decoração a azul-cobalto sobre esmalte branco.

C507 Porcelana vidrada Chinese export porcelain Par de Leões de Fô em porcelana vidrada sobre biscuit decorados com esmaltes da “Família Verde”, numa grande exuberância cromática. De grandes olhos, mostrando um olhar feroz e com grandes orelhas, ambos amovíveis, boca vazada com língua exposta, traduzindo uma expressão impiedosa. Estes guardiões impenetráveis e usados para afastar os maus espíritos, existem sempre aos pares, o macho à esquerda e a fêmea à direita.

D1164   “O Jovem Poeta Fernando Pessoa e uma Janela Espaço -Poético” Munique 1984

C572   Porcelana vidrada Garrafa de bojo piriforme, gargalo alto e estreito com anel saliente, em porcelana branca e com decoração a azul-cobalto, sob vidrado brilhante. Na base bojuda destaca-se uma delicada paisagem chinesa, com montanhas, casario, vários tipos de árvores e de elementos vegetalistas, limitada em simetria por várias cercaduras, constituídas por elementos florais e vegetalistas: finos enrolamentos de caules que circundam margaridas desabrochadas e pequenas folhas que criam padrão ritmado entre outros.

D286   “Cavaleiro Azul IV”  1971

Excepcional par de castiçais neoclássicos em prata portuguesa transfurada, do ilustre prateiro lisboeta António Firmo da Costa. Fuste elegante, de fileiras lisas repousando em oito pétalas gomadas rematadas por pequenas contas. Copo com a mesma decoração separado do fuste por bolachas.

Nó elíptico com aplicação de duas reservas, uma com monograma gravado e arandelas rendilhadas com o mesmo formato. Assentes em base ovalada, vazada e serrada em gradinha, alteada por quatro pés triangulares salientes terminando em bola.

D761  Sem Título – Sintra

F736  Placa de marfim praticamente preenchida pelo busto da Virgem com o Menino. Nossa Senhora apresenta rosto afilado, olhos amendoados, cabelos com madeixas, túnica de pregueados leves e longo manto drapeado sobre a cabeça. O Menino Jesus encontra-se despido, sentado no braço direito da Virgem, que tem na mão esquerda portuguesíssimos cravos (B. Ferrão). 

A385  Raro e excecional par de cómodas portuguesas da época D. José I, em pau-santo maciço ricamente entalhado, com fundos em vinhático e ferragens em bronze ao gosto rocaille. O tampo é liso e emoldurado, acompanhando frente e ilhargas onduladas com quebras em curva e contracurva. Corpo com duas gavetas e três gavetões, que possuem frentes lisas e moldura dupla, com exuberantes ferragens em bronze.

Páginas