Coleções

F843 Menino Jesus de grandes dimensões em marfim, trabalho proveniente das oficinas luso‑tailandesas, do século XVII. Encontra-se “reclinado” na consagrada posição em que Buda morreu, sendo esta representação unicamente utilizada no budismo da Tailândia (antigo Sião); traduz a passagem de Buda para o nirvana, estado onde se alcança a profunda paz de espírito, pela pureza dos pensamentos.

F873 Excepcional Menino Jesus Salvador do Mundo, cíngalo-português do séc. XVI, em marfim. Esta imagem de grandes dimensões, e com uma qualidade escultórica notável é, sem dúvida, uma obra-prima da imaginária cingalesa. O Menino está representado de vulto prefeito, com uma postura majestática, abençoando com a mão direita e segurando a vara com a esquerda. Tem o pé direito sobre o orbe terrestre e ergue-se sobre uma peanha, com o fuste representando querubim.

C331 Porcelana vidrada, Companhia das Índias Porcelana da Companhia das Índias com decoração de “Folha de Tabaco” é um dos serviços mais apreciados da porcelana chinesa. A sua particularidade reside na profusão decorativa, que preenche quase toda a superfície das peças, com elementos vegetalistas de grandes dimensões, numa vibrante pintura a esmaltes azul-turquesa,amarelo, rosa, etc...

Barretina D. José de madeira integralmente revestida a pele de cação. O interior, forrado a veludo, é compartimentado para conter faqueiro de doze pessoas. Ferragens em latão gravado.

O faqueiro em prata portuguesa relevada, é composto por 12 facas e garfos de resto, e 12 colheres de sopa.

D1198  “Rue de Lisbonne”

C504 - Faiança Portuguesa “Pré-aranhões”.
Belo prato de grandes dimensões, com covo pouco acentuado e de aba levantada, esmaltado a branco e decorado a azul-cobalto e vinoso de manganês, em faiança portuguesa da primeira metade do século XVII, inspirada na porcelana chinesa Kraak do período Wanli, dinastia Ming.

No fundo desenvolve-se paisagem de influência oriental, com um gamo junto a um varandim e exuberante vegetação exótica.

C440 Imponente e raro pote em faiança portuguesa do séc. XVII, rodado, de forma ovóide e bulbosa,com colo demarcado, duas asas e pintado a azul-cobalto sobre o esmalte branco. A decoração é densa e preenche integralmente toda a sua superfície, testemunhando o horror vacui, característica derivada de modelos islâmicos. Embora de nítida influência oriental, a representação humana têm tipologia ocidental estando inserida numa paisagem de sabor orientalizante.

D604 “Olhar de Pássaro” 1996

Óleo s/ tela Assinado c.i.e. e datado no verso Gazing.

B226 - Jarro e bacia em prata portuguesa, trabalho da primeira metade do séc. XVIII, segundo modelo do ourives Luís Gonçalves (c. 1551).

O jarro tem o corpo liso, em forma de balaústre, com largo bocal terminando em bico. Asa de expressão rocaille formando um “S” invertido, acabando em dupla voluta.

Páginas