Coleções

Raríssima peça de formato islâmico em faiança portuguesa, com decoração inspirada em peças idênticas em porcelana da China. A garrafa de bojo globoso, esferóide com pescoço alto e cilíndrico termina em bordo saliente. No corpo decoração com quatro cartelas decoradas alternadamente por grandes arranjos de flores, ramos de boninas e rolos de papel com motivo geométrico encadeado e laçadas. Separam estes medalhões rectângulos com “cordões duplos e losango”.

Imagem de Menino Jesus deitado, em marfim, japonês do séc. XVII, que se integra no grupo designado “Meninos Jesus de Camilha”.

Garrafa em porcelana de bojo piriforme, gargalo alto e estreito com anel saliente, com decoração a azul-cobalto sob vidrado brilhante. Na base bojuda destaca-se uma delicada paisagem chinesa, com montanhas, casario, vários tipos de árvores e  elementos vegetalistas, limitada em simetria por várias cercaduras, constituídas por elementos florais e finos enrolamentos de caules que circundam margaridas desabrochadas e pequenas folhas que criam padrão ritmado entre outros.

Móvel portátil Indo-Português, de formato paralelepipédico, em teca com embutidos em ébano e marfim, produção de Goa de meados do século XVII.

Adaga com lâmina em aço, de formato recto e com um só gume. O punho em jade apresenta um motivo zoomórfico - Cabeça de Tigre, com pequenos olhos de rubis que lhe conferem maior realismo.
Este tipo de adaga era tradicionalmente utilizado no lado esquerdo do cinto no traje mogol típico da época.
O facto de o cabo apresentar uma cabeça de tigre - um símbolo imperial- e de ser executado em jade, confere destaque e relevo a este exemplar, seguramente destinado a um importante membro da corte próximo do Imperador.

Aço, Jade e Rubis
Índia, séc. XVII
Dim.: 24,5 cm

Manga de Farmácia em faiança portuguesa, de forma cilíndrica com ligeiro estrangulamento no centro, decorada a azul e vinoso de manganês sobre esmalte branco. Bojo com cartela retangular, larga e oblíqua, com a inscrição S.BUGLOZI, que sobressai de densa decoração com grandes boninas. O colo com cercadura vegetalista e a base de filete remata a composição da manga.

Esta pequena pintura devocional executada sobre madeira de teca, de que não se conhece a exacta procedência, foi certamente executada em Goa na primeira metade do século XVII e representa a Santíssima Trindade na forma de Trindade Triândrica.

Salva de pé alto/salva bilheteira joanina, em prata portuguesa relevada, cinzelada, gravada e armoriada. Ao centro, sobre um fundo liso, brasão de armas decorado com folhas de trevo, encimado por elmo e pavão e suportado por dois leões. O bordo desenvolve-se em quatro registos que acompanham o movimento da orla, recortada por friso liso em chaveta.

Páginas