Coleções

Excepcional Menino Jesus Salvador do Mundo, cíngalo-português do séc. XVI, em marfim. Esta imagem de grandes dimensões, e com uma qualidade escultórica notável é, sem dúvida, uma obra-prima da imaginária cingalesa. O Menino está representado de vulto prefeito, com uma postura majestática, abençoando com a mão direita e segurando a vara com a esquerda. Tem o pé direito sobre o orbe terrestre e ergue-se sobre uma peanha, com o fuste representando querubim.

Pequena taça em ágata matizada e de tons fumados que tem como característica principal o facto de ser entalhada de um único bloco de mineral. As ágatas são uma das muitas formas da calcedónia, um tipo de quartzo onde se incluem também as cornalinas e os heliotrópios.

Rara bacia em faiança portuguesa, de covo acentuado, aba chanfrada e bordo canelado, revestido por esmalte branco e decoração de Desenho Miúdo, pintada a azul e vinoso de manganês. Fundo preenchido por profusa decoração vegetalista com aves pousadas em ramos e charcos, destacando-se cruz da Ordem de Malta ao centro. A composição está circundada por orla de três contas, limitada por dois frisos. Na aba um padrão composto por gazelas, aves, casario e vegetação diversa. Tardoz com quatro ramos pintados a azul e vinoso.

“Oh Maman, Quelle Bonne Surprise!”

Paris 1971

Tambuladeira barroca de grandes dimensões, em prata portuguesa com decoração gravada com escudo de armas europeu sobre um listel com o mote POST-MORTEM-VIRTUS-VIRESCIT, redecorada posteriormente.

Eugénio da Costa foi um prolífero prateiro especializado no repuxado de gomos, assinando algumas salvas de gomos e tambuladeiras. 

Par de pratos em porcelana chinesa de exportação "Companhia das Índias", de bordo recortado decorados com esmaltes “Família Rosa” em tons de azul.

Centro com brasão de armas de Pedro António L. da Costa Pina Manique e friso de flores e motivos geométricos a azul e branco. Aba com motivos vegetalistas e geométricos a azul cobalto, rematado por fio dourado (prato de sopa e prato raso).

Salva recortada por vinte gomos em prata portuguesa lisa. Decoração martelada em gomos côncavos espiralados que se desenvolvem a partir do centro.

Medalhão central liso e limitado por meia cana elevada. Esta tipologia de salvas com gomos em espiral é particularmente rara, o mesmo acontecendo com as tambuladeiras.

Magnífica talha em faiança portuguesa, da segunda metade do século XVII, com pronunciada forma bojuda, rodada, duas asas opostas e gargalo elevado de bordo ondulante e divergente, revestida de esmalte estanífero com decoração policroma pouco vulgar.

Páginas