Coleções

Excepcional par de castiçais neoclássicos em prata portuguesa transfurada, do ilustre prateiro lisboeta António Firmo da Costa. Fuste elegante, de fileiras lisas repousando em oito pétalas gomadas rematadas por pequenas contas. Copo com a mesma decoração separado do fuste por bolachas.

Nó elíptico com aplicação de duas reservas, uma com monograma gravado e arandelas rendilhadas com o mesmo formato. Assentes em base ovalada, vazada e serrada em gradinha, alteada por quatro pés triangulares salientes terminando em bola.

Teca, sissó e marfim (tingido e cor natural) Arqueta-escritório de tampo de levantar de caixa paralelepipédica, assente em pés de bola achatada, com estrutura de teca e faces exteriores em sissó decorado a embutidos de teca, sissó e marfim à cor natural e tingido de verde, e ferragens e pregaria em cobre vazado e dourado. O tampo de levantar dá acesso a um compartimento central rodeado na frente e nas laterais por três escaninhos (para os instrumentos de escrita), com um tinteiro e uma poeira em sissó ladeando cada um o escaninho da frente.

"Sem título"
Óleo sobre madeira
Assinado e datado c.i.d.
Dim.: 34,0 x 69,0 cm

"Untitled"
Oil on board
Signed and dated
Dim.: 34,0 x 69,0 cm

No verso:/On the back:

- "Armando de Basto, Paris, 1912"

Pequena taça para vinho, ou copas alteadas com pé e tampa, denominados “em cacho de uva” ou Traubenpokal no original alemão, dada a forma da copa e sua tampa recortada (que se encaixam perfeitamente), num padrão fechado, de hemisférios ou gomos salientes em forma de gota, realizados pela técnica do repuxado. A forma é por vezes designada, mais correctamente, como uma pinha.

Pé circular (fixo por rosca à haste), apresenta no pé gomos circulares, num prolongamento da decoração da copa.

Teca, madrepérola, tartaruga e prata
Índia, Guzarate, séc. XVI
Dim.: 18,0 x 24,2 x 16,5 cm

Casket
Teak, mother-of-pearl, tortoiseshell and silver
India, Gujarat, 16th century
Dim.: 18,0 x 24,2 x 16,5 cm

Adaga de tipo "Pesh-Kabs" com lâmina em aço damasquino de gume simples. O punho não apresenta guardas e é totalmente revestido por finas placas de madrepérola fixas por pequenos pinos.
O formato da lâmina, em "T", é a principal característica desta tipologia. Larga junto à base do punho, adelgaça e termina em fina ponta. Este curioso formato foi concebido essencialmente para perfurar cotas de malha.

Raro conjunto em nogueira americana maciça, entalhada e vazada, com marchetaria em madeira de buxo e espinheiro. Espaldar violoné com tabela de influência Chippendale, decorado com entalhes desenhando flores, cravos e crisântemos, unidos por filetes. Braços abertos, com movimento e entalhamento delineando volutas alongadas e estilizadas. Assento com coxim amovível que repousa num aro em arco de círculo, decorado com motivos vegetalistas repetindo o padrão do espaldar. Pernas curvas terminando em pés de “cachimbo” ornamentados com folhas estilizadas.

Elegante adaga de formato delicado, com cabo feito de placas lisas de marfim fixadas por rebites e enriquecido com rubis em cabochon encastoados a ouro com técnica de Kundan, desenhando um friso.
Lâmina em aço de elegante formato em ferrão de escorpião, assemelhando-se à das tradicionais "Bichawas".

Aço, marfim, ouro e rubis
Índia, séc. XVIII
Dim.: 22,0 cm

Pequena taça para vinho, em jade nefrite branco acinzentado, translúcido e ligeiramente mosqueado, de concha em forma de gota com lóbulos marcados (godrões) e pega em forma de cabeça de cabra, provavelmente da famosa cabra de Caxemira (Capra hircus laniger), conhecida por Changthang, e que habita as montanhas a norte no subcontinente indiano, nos atuais Ladakh (no Kashmir) e Baltistan, de onde se obtém a tão apreciada lã de caxemira.

Páginas