Coleções

Adaga tradicional com lâmina em aço de um só gume, de forma plana e ligeiramente curva.
O cabo apresenta motivo zoomórfico de cabeça de leão, executado em prata relevada e cinzelada com olhos em cabochons de rubi, detalhe que lhe confere um forte carácter realista. Este detalhe decorativo sugere que esta adaga deverá ter pertencido a um alto dignitário da corte Mogol.

Elegante cafeteira Josefina com três pés, em prata portuguesa. Em forma de pêra alongada, decorada com ramos de flores, folhagens e entablamentos arquitectónicos recurvos, com uma decoração de dinâmica expressão plástica, muito ao gosto da época. No bojo, a decoração é composta por um ramo florido central, com um cercadinho de flores com ramagem.

Faiança Portuguesa
Lisboa, 1620-1640
Alt.: 26,5 cm

Prov.:
Colecção M.P., Lisboa
Colecção Sangreman Proença, Évora

“Varanda do Grego”  - Praia das Maçãs

Tecido em damasco de fio de seda e aplicação de lantejoulas prateadas. Bordado direto com pontos de ouro em fio de papel laminado prateado, com alma em seda e cordão do mesmo fio.

Menino Jesus sino-português do séc. XVII, em marfim. De grande qualidade escultórica, o menino encontra-se sentado em atitude de profunda meditação. A face é serena com traços orientais, tem cabelos bem desenhados com singelos caracóis periféricos, esboçando um leve sorriso.

Veste túnica simples, desprovida de qualquer adorno. Está sentado, com as pernas cruzadas à maneira oriental. Segura na mão esquerda o orbe terrestre, tem o cotovelo direito apoiado no joelho e os dedos na face

Peça de fabrico Chinês de exportação para o mercado Europeu
Pinheiro Chinês, laca, ouro e couro
China, meados do séc. XVIII
Dim.: 87,0 x 63,0 x 63,0 cm

Prov.: Colecção particular, Paris

Desk Chair
Chinese made for export to the European market
Chinese Pine, lacquer, gold and leather
China, mid 18th century
Dim.: 87,0 x 63,0 x 63,0 cm

Prov.: Private collection, Paris

Esta pequena pintura devocional executada sobre madeira de teca, de que não se conhece a exacta procedência, foi certamente executada em Goa na primeira metade do século XVII e representa a Santíssima Trindade na forma de Trindade Triândrica.

Objecto de prata de âmbito civil, usado para lavar as mãos no ritual que antecedia as refeições da aristocracia portuguesa, este extraordinário aquamanil, de grandes dimensões e peso, pertence a um grupo de cerca de oito peças dispersas pelo globo.

Faiança policromada
Portugal, Lisboa, séc. XVII
Proveniência: Coleção Keil do Amaral
Alt.: 33,1 cm

Páginas