Coleções

Pequena taça para vinho, ou copas alteadas com pé e tampa, denominados “em cacho de uva” ou Traubenpokal no original alemão, dada a forma da copa e sua tampa recortada (que se encaixam perfeitamente), num padrão fechado, de hemisférios ou gomos salientes em forma de gota, realizados pela técnica do repuxado. A forma é por vezes designada, mais correctamente, como uma pinha.

Pé circular (fixo por rosca à haste), apresenta no pé gomos circulares, num prolongamento da decoração da copa.

Menino Jesus em marfim, para camilha. Apresenta cabeça esferóide com rosto oval, assente em pescoço curto. O nariz é longo e ligeiramente achatado, com abas das narinas bem vincadas. As orelhas revelam uma anatomia natural e realista. A sua expressão é introspetiva, denotando uma espiritualidade e misticismo típico dos trabalhos do Extremo Oriente. O corpo apresenta-se retratado com refegos bem salientes, onde os membros surgem ligeiramente globosos, com articulações acentuadas e dedos pormenorizados.

Garrafa em porcelana de bojo piriforme, gargalo alto e estreito com anel saliente, com decoração a azul-cobalto sob vidrado brilhante. Na base bojuda destaca-se uma delicada paisagem chinesa, com montanhas, casario, vários tipos de árvores e  elementos vegetalistas, limitada em simetria por várias cercaduras, constituídas por elementos florais e finos enrolamentos de caules que circundam margaridas desabrochadas e pequenas folhas que criam padrão ritmado entre outros.

Escultura cíngalo‑portuguesa do séc. XVI / XVII de rara dimensão e qualidade com grande minúcia de entalhe. Jesus Cristo apresenta um rosto grande, ovalado e sereno, com cabelos desenhando estrias muito finas e uma madeixa pendente sobre a direita. Olhos amendoados e achinesados, nariz fino, boca pequena, grande bigode pendente e barba bifurcada em madeixas enroladas.

Excepcional cómoda tombeau em pau-santo maciço, do período de transição D. João V / D. José, de linhas onduladas, concavas e convexas, dita “torta e retorta”, com aplicações em bronze cinzelado. A frente é abaulada, constituída por três níveis de gavetas, separados por vistas de entre panos bem marcados: o superior com duas e os restantes em gavetão, simulando duas gavetas iguais, idênticas às de cima. As frentes destes compartimentos têm uma elegante almofada com dupla moldura periférica de cantos arredondados.

Importante cafeteira neoclássica em prata portuguesa de António Firmo da Costa, com corpo em forma de balaústre, elevado por pé circular. Corpo liso com canelados côncavos e cintura com cercadura requintadamente gravada de motivos florais e com duas reservas lisas, junto ao bojo, limitada por faixas estriadas, e que se prolonga por um colo longo liso.

“Céfalo e Prócris”

"Cephalus and Procris"

Raro pote Ming, com tampa, de corpo sextavado de seis lóbulos e gargalo curto e direito, em porcelana branca e vidrado levemente azulado. O bojo apresenta quatro reservas com paisagem à beira da água, com ganso rodeado por flores de lótus e outras plantas aquáticas,sobrevoada por ave em voo picado.

Gomil em forma de elmo invertido, onde proliferam elementos do barroco, particularmente bem cinzelados e repuxados. Apresenta boca larga e está assente em pé circular.

No bojo, a parte inferior é envolvida em ondas rocaille, que partem de uma concha de estrutura helicoidal, perfeitamente desenhada e marcada por linhas sinuosas, assente numa corola de pétalas abertas e moldurada por dois frisos paralelos de ponteados. A parte superior é lisa decorada com uma concha estilizada.

Páginas