Coleções

Pau-Santo e Espinheiro
Portugal, séc. XVIII
Dim.: 82,5 x 119,5 x 56,0 cm
Mesa de encostar D. José em pau-santo entalhado com decoração embutida de molduras em pau-rosa e filetes de espinheiro. Ferragens em latão cinzelado e dourado.

Side Table
Rosewood and thornbush
Portugal, 18th century
Dim.: 82,5 x 119,5 x 56,0 cm
D. José period side table in carved rosewood. Inlaid exotic timber and thornbush frames. Chiselled and gilt brass hardware.

Canudo de farmácia em faiança portuguesa, rodado, ligeiramente estrangulado ao centro, com pé circular, colo baixo e bordo revirado, decorado a azul com contornos a vinoso de manganês sobre esmalte branco. Bojo decorado por paisagem do tipo oriental, de rochedos e vegetação com grandes flores, onde sobressaem um lebrão e uma garça. Colo e base com tarja de volutas rematada por filetes a vinhoso.

Cafeteira josefina de três pés, em prata portuguesa. Corpo piriforme alongado, decorado no bojo e junto à tampa, com elementos florais, vegetalistas e concheados, predominando aletas em “C”, finamente cinzelados e cartelas. O bico, em colo de cisne, envolve-se em caneluras, terminando em folha de acanto. Assenta sobre três pés em sapata, espalmados, que se unem ao corpo da peça por um concheado repuxado.

Invulgar banca ou mesa de escrita indo‑portuguesa do século XVII em teca e sissó, com embutidos e guarnições em marfim e ébano. A decoração invade todo o móvel, tirando partido do efeito contrastante das madeiras utilizadas: embutidos escuros de ébano sobre o fundo claro da teca, pontuados por pequenas cavilhas de marfim, que matizam as superfícies de pontos brancos.

Par de castiçais de base prismática tri-facetada, em porcelana com decoração designada de "Imari", em tons de azul e vermelho-ferro, contornados a ouro sobre o vidrado. Uma das faces totalmente preenchida com armas de Francisco José de Sampaio Melo e Castro, de grande beleza, acrescentando o seu esmalte verde, uma riqueza adicional à típica decoração Imari.

Par de castiçais neoclássicos em prata portuguesa. Base elíptica, vazada em gradinha, assente sobre quatro pés salientes em bola, da qual se eleva a corola de uma flor de oito pétalas gomadas, terminando em gotas. Este padrão repete-se no fuste e no copo, separados por bolachas.

A haste canelada é interrompida por uma cinta transfurada, com quatro reservas lisas. Nó e arandelas elípticas em gradinha, desenhadas segundo o padrão decorativo da base.

Faiança Portuguesa "Desenho Miúdo"
Lisboa, 1660-1680
Alt.: 29,0 cm

Prov.: Colecção Rui Quintela

Bottle´
Portuguese faience "Desenho Miúdo"
Lisbon, 1660-1680
Alt.:

Pote em faiança portuguesa do séc. XVII, de forma ovóide e colo curto, decorado a azul‑cobalto e vinoso de manganês. O bojo é seccionado por duas reservas circulares decoradas com bustos femininos, com toucados à moda da época, as "Bellas" de influência na majólica italiana, e que alternam com losangos ornamentados por flores de corolas abertas. Junto ao bordo uma faixa de volutas brancas em fundo azul, e na base, entre duas faixas, uma cercadura de volutas muito ao gosto barroco, envolvidas por filetes a vinoso de manganês.

Pau-santo e espinheiro
Portugal, séc. XVII
Dim.:
100,0 x 56,5 x 44,0 cm (contador)
81,5 x 109,0 x 54,5 cm (trempe)

Cabinet on stand
Rosewood and whitethorn
Portugal, 17th century
Dim.:
100,0 x 56,5 x 44,0 cm (cabinet)
81,5 x 109,0 x 54,5 cm (stand)

Páginas