Pratas e Filigranas

B183 - Jarro de corpo bojudo em forma de elmo invertido, assente em pé circular de rosca. Corpo com decoração relevada com motivos rococó, grinaldas e concheados.

Bocal largo, com contorno de curva e contracurva. Asa perdida em forma de “C” opostos, decorada com enrolamentos e motivos florais estilizados de folhas de acanto.

Base com contorno recortado e decorado, que se une ao bojo formando gomos espiralados.

B153 - Tambuladeira barroca de grandes dimensões em prata portuguesa, decoração gravada com escudo de armas europeu sobre um listel com o mote POST-MORTEM-VIRTUS-VIRESCIT Redecorada posteriormente.

B226 - Jarro e bacia em prata portuguesa, trabalho da primeira metade do séc. XVIII, segundo modelo do ourives Luís Gonçalves (c. 1551).

O jarro tem o corpo liso, em forma de balaústre, com largo bocal terminando em bico. Asa de expressão rocaille formando um “S” invertido, acabando em dupla voluta.

B255 - Objecto de prata de âmbito civil, usado para lavar as mãos no ritual que antecedia as refeições da aristocracia portuguesa, este extraordinário aquamanil, de grandes dimensões e peso, pertence a um grupo de cerca de oito peças dispersas pelo globo.

Finamente repuxados e cinzelados, construídos por duas espessas chapas de prata soldadas a meio, apresentam-nos uma estranha figuração quimérica.

B256 - Invulgar cofre em formato de baú, de filigrana rendilhada e vazada, atribuível a mestres goeses do século XVII. Corpo de forma paralelepipédica com pegas laterais, que assenta sobre quatro pé esféricos, sendo a tampa de secção arredondada em volta perfeita, encerrando com uma exuberante flor-de-lótus desabrochada.

B235 - Cofre de secção octogonal, em filigrana de prata,trabalho goês do séc. XVII, totalmente decorado com elementos que se enrolam e se cruzam ao gosto oriental.

Na tampa, monograma coroado ao centro, inserido numa orla redonda, ladeado por “CC” e “SS” encostados e volutas, de onde partem enrolamentos fitomórficos.

Todas as faces são ornamentadas com painéis quadrangulares justapostos e preenchidos com animais fantásticos, águias bicéfalas coroadas entre tarjas em ziguezague delineadas por tiras lisas.

B268 - Duas pequenas taças para vinho, ou copas alteadas com pé e tampa, denominados de taças “em cacho de uva” ou Traubenpokal no original alemão, dada a forma da copa e sua tampa recortada (que se encaixam perfeitamente) simulando um cacho de uvas, num padrão fechado, de hemisférios ou gomos salientes em forma de gota, realizados pela técnica do repuxado.

A forma é por vezes designada, mais correctamente, como uma pinha.

B139 - Invulgar par de castiçais em prata dourada, fabrico Nórdico, possivelmente Alemanha, dos finais do seculo XVI, inícios do século XVII.

Base circular com fustes bojudos e decoração relevada de “frutos, folhagens e flores-de-lis”que se prolongam por contas e gomos de cariz geométrico, intercalados até ao copo. Junto das arandelas sobressaem três aletas em curva e contracurva suportadas por bolacha com mascarões repuxados e cinzelados. O copo oitavado intercala flores de lótus com faces lisas.

B142 - Corpo em forma de elmo invertido decorado por sequência de caneluras côncavas e convexas, decoradas com folhas de acanto, estilizadas e entrelaçadas, com o mesmo tipo de decoração gravada junto à boca.

Na curvatura do bico, cartela que apresenta a cabeça de figura masculina gravada, emoldurada por aletas, em curva e contracurva, encimada por figura de índio.

Asa em forma de cariátide, fundida e cinzelada em vulto perfeito que se une ao jarro através de uma folha. Pé polilobado rematado por friso de perlados.

B143 - Jarro Josefino em prata dourada portuguesa. Corpo bojudo em forma de elmo invertido, assente em pé circular, com decoração espiralada, relevada com motivos rococó, grinaldas, concheados, volutas e aletas.

Bocal largo com contorno de curva e contracurva, seguindo o desenho do corpo. Asa em forma de “CC” opostos, decorada com enrolamentos e motivos florais estilizados de folhas de acanto, ligando-se ao bocal com flor aberta e ao corpo com voluta larga.

Base circular, com contorno recortado e decorado, que se une ao bojo formando gomos espiralados.

Páginas