Jarro e Bacia

Nº de referência da peça: 
B226

Jarro e bacia em prata portuguesa, trabalho da primeira metade do séc. XVIII, segundo modelo do ourives Luís Gonçalves (c. 1551).

O jarro tem o corpo liso, em forma de balaústre, com largo bocal terminando em bico. Asa de expressão rocaille formando um “S” invertido, acabando em dupla voluta. A bacia, de bordo elevado, tem o centro circular limitado por moldura alteada para encaixe do jarro.

Salientamos a invulgar proporção destas peças, que se inspiram em modelos mais recuados, de desenho simples, obra do importante ourives de Lisboa, Manuel Roque Ferrão.

Antiga Colecção Dr. João Castro Sola Soares Mendes.

Exemplares idênticos: Jarro e bacia existente no Inventário da Real Capela da Universidade de Coimbra. Trabalho do ourives Luís Gonçalves, c. 1551, com a gravação das Armas Reais. Referenciado em Exposição de Ourivesaria Portuguesa e Francesa, Fundação Ricardo Espírito Santo Silva, 1955, p. 40, n.º 82, fig. 37;

Marca de ensaiador de Lisboa (1720–1750)

Marca de ourives de Manuel Roque Ferrão F/MR (1720–1770)

Jarro alt.: 24,5 cm Bacia diâm.: 33,5 cm Peso: 1545,0 g 

A Portuguese Silver Ewer and Salver

Lisbon assay mark (1720–1750)

Makers mark F/MR – Manuel Roque Ferrão (1720–1770)

Height of the Ewer: 24,5 cm Diam. of the Salver: 33,5 cm Weight: 1545,0 g

  • Arte Portuguesa e Europeia
  • Pratas

Formulário de contacto - Peças