Pratas

Nº de referência da peça: 
B217

Cafeteira de três pés D. José em prata portuguesa. Corpo modelado num formato piriforme, característico do período rocaille. No bojo, decoração rocaille cinzelada, usando motivos fitomórficos, rosas, concheados e volutas plenas de movimento, destacando-se um medalhão central emoldurado por duas longas aletas.

Nº de referência da peça: 
B238

Elegante cafeteira Josefina com três pés, em prata portuguesa. Em forma de pêra alongada, decorada com ramos de flores, folhagens e entablamentos arquitectónicos recurvos, com uma decoração de dinâmica expressão plástica, muito ao gosto da época. No bojo, a decoração é composta por um ramo florido central, com um cercadinho de flores com ramagem.

Nº de referência da peça: 
B219

Prata portuguesa. Corpo liso em forma de pêra alongada com acabamento brunido, assente sobre três pés de sapata. Bico em cabeça de cisne com caneluras assimétricas, decorado com vieira estilizada na ligação ao bojo.

Tampa em forma de cúpula, articulada por charneira, com pomo em forma de pinha.

Asa em madeira entalhada e decorada com volutas na ligação ao corpo. Este sóbrio exemplar vive sobretudo da forma e da beleza do metal praticamente despojado de decoração.

Nº de referência da peça: 
B195

Importante bule josefino “Bico de ave”, em prata portuguesa. Corpo em forma de pêra invertida, com bojo decorado com entablamentos arquitectónicos enriquecidos de profusa decoração rocaille, repuxada e cinzelada, constituída por folhagens, flores, concheados e volutas, ornamento que se prolonga pela tampa. Esta, ricamente decorada, termina num botão com forma de flor.

Nº de referência da peça: 
B192

Belíssimo bule Josefino “Bico de ave” em prata portuguesa. Corpo em forma de pêra invertida com profusa decoração rocaille gravada, repuxada e cinzelada em folhagens, flores – malmequeres, crisântemos – concheados, volutas e grinaldas.

Tampa de cúpula baixa, com dobradiça embutida que remata com um botão em ébano. Bico com curva elegante, em colo de cisne canelado, que termina em cabeça de ave, envolvido por folhas de acanto, de contornos relevados e bem cinzelados.

Asa em ébano em forma de “C” com folhagem entalhada. Assenta sobre base circular de bordo liso.

Nº de referência da peça: 
B258

Importante bule Josefino “Bico de ave” em prata portuguesa, do período D. José e do mestre prateiro João Coelho Sampaio. Corpo liso em forma de pêra invertida, com decoração rocaille no bojo, gravada, repuxada e cinzelada em folhagens, flores – malmequeres e crisântemos - concheados, aletas e volutas, que se prolongam pela tampa.

Nº de referência da peça: 
B206

Gomil em forma de elmo invertido, onde proliferam elementos do barroco, particularmente bem cinzelados e repuxados. Apresenta boca larga e está assente em pé circular.

No bojo, a parte inferior é envolvida em ondas rocaille, que partem de uma concha de estrutura helicoidal, perfeitamente desenhada e marcada por linhas sinuosas, assente numa corola de pétalas abertas e moldurada por dois frisos paralelos de ponteados. A parte superior é lisa decorada com uma concha estilizada.

Nº de referência da peça: 
B183

Jarro de corpo bojudo em forma de elmo invertido, assente em pé circular de rosca. Corpo com decoração relevada com motivos rococó, grinaldas e concheados.

Bocal largo, com contorno de curva e contracurva. Asa perdida em forma de “C” opostos, decorada com enrolamentos e motivos florais estilizados de folhas de acanto.

Base com contorno recortado e decorado, que se une ao bojo formando gomos espiralados.

Nº de referência da peça: 
B153

Tambuladeira barroca de grandes dimensões, em prata portuguesa com decoração gravada com escudo de armas europeu sobre um listel com o mote POST-MORTEM-VIRTUS-VIRESCIT, redecorada posteriormente.

Eugénio da Costa foi um prolífero prateiro especializado no repuxado de gomos, assinando algumas salvas de gomos e tambuladeiras. 

Nº de referência da peça: 
B226

Jarro e bacia em prata portuguesa, trabalho da primeira metade do séc. XVIII, segundo modelo do ourives Luís Gonçalves (c. 1551).

O jarro tem o corpo liso, em forma de balaústre, com largo bocal terminando em bico. Asa de expressão rocaille formando um “S” invertido, acabando em dupla voluta. A bacia, de bordo elevado, tem o centro circular limitado por moldura alteada para encaixe do jarro.

Páginas