Arca em Faiança

C538  Faiança Portuguesa Invulgar peça em faiança portuguesa do século XVII, representando baú de caracter artesanal, apoiado sobre patim incorporado, com cabeça de animal fantástico, com decoração a azul-cobalto sobre esmalte branco. A tampa e a frente do cofre estão delimitadas por friso a azul e preenchidas por cartela com enrolamentos simétricos de folhas de acanto, desenvolvidas ao modo barroco, através de pincelada gestual e espontânea, ponteadas por ramos de aranhões, vulgarmente inspirados nas folhas de artemisa da porcelana chinesa Ming.

Tem fecho simulado em forma de aldraba e duas pegas laterais. Embora se desconheça a utilidade do orifício circular na tampa, pensa-se que terá sido criado, exclusivamente por razões funcionais para, ao submeter o objecto à cozedura no forno, este não se partisse. Peça rara de aparato, seguindo o modelo das arcas portuguesas do seculo XVII, esta é a única representação de peça de mobiliário que se conhece na faiança portuguesa do século XVII.

Lisboa, 1630–40 (?) Dim.: 14,5 x 21,0 x 12,0 cm Lisboa, 1630–40 (?) Dim.: 14,5 x 21,0 x 12,0 cm CALADO, Rafael Salinas, Faiança Portuguesa – Sua evolução até ao início do século XX, Edição dos Serviços de Filatelia, Correios de Portugal, 1992. — SANTOS Reynaldo dos, Faiança Portuguesa – Séculos XVI e XVII, Porto, Galaica.

  • Arte Portuguesa e Europeia
  • Azulejos e Faianças

Formulário de contacto - Peças