Arte de Fusão

F1043  Raro e excepcional Yatate, conjunto de escrita portátil japonês Namban, literalmente traduzido como “suporte em seta”, sugerindo a forma de um cachimbo e decorado com temas alusivos à arte namban. Braço longo cilíndrico oco, em cobre de coloração acastanhada, com as extremidades em prata, decoradas com ornamentos em namban Karakusa1, onde se guardava o pincel de escrita.

F983   Numa das faces, três figuras que nos parecem ser de religiosos, um dos quais com a cabeça inclinada e escondida pelo chapéu; na outra, duas personagens, provavelmente civis, conversando. Peça rara e de grande interesse iconográfico, só conhecemos dois exemplares semelhantes, encontrando-se um no acervo do Museu Guimet em Paris. Como complemento deste inrō apresenta-se um muito raro e importante netsuke Namban.

F965   Raro inrō Namban em madeira revestida a laca. A caixa, com formato prismático e secção ovalizada, é composta por quatro compartimentos ou dan sobrepostos, dois sub-divididos, que encaixam uns nos outros e encerram com tampa do mesmo formato. No interior e exterior do inrō sobressai a laca de coloração castanho-escuro a negro, que se obteve adicionando pó de carvão ou pigmento de ferro ao urushi – a seiva purificada da Rhus verniciflua.

F992  Raro e importante escudo de aparato circular (rodela) de madeira exótica (pranchas cavilhadas entre si), coberto por várias camadas de pele animal moldado a quente à estrutura de madeira segundo a técnica do cuir bouilli, posteriormente revestida por laca do Sudeste Asiático ou thitsi a negro e decorada a folha de ouro na frente e no verso.

F935  Excepcional cofre com formato de capela, em tartaruga guarnecido a prata, das oficinas de Guzerate datável da 2ª metade do século XVI. A caixa e a tampa foram executadas com tartaruga translúcida e mosqueada (escamas dorsais da Eretmochelys Imbricata ou tartaruga‑de‑pente), colocada sobre folha de ouro o que lhe confere maior contraste e beleza. As placas estão rematadas por tarjas de prata recortadas à tesoura, com exuberantes cantoneiras reforçando as quatro esquinas, fixas por balmázios em forma de rosácea com estrela.