Arquivo

Nº de referência da peça: 
D1199

"Sem Título" – Lousã

Peças Vendidas
Nº de referência da peça: 
A396

Cómoda em nogueira entalhada em tombeau. Estrutura bombée com tampo liso de formato rectangular e recortado, moldurado e saliente, acompanhando a acentuada movimentação da caixa em curva e contracurva, repousando sobre tripla moldura. Frente com três renques de gavetas: sob o tampo, duas iguais e, nos restantes, um gavetão com cercaduras periféricas proeminentes e quebras laterais, separados por estreitos entrepanos lisos, com excepção do superior,que apresenta um friso de tremidos com diferentes angulações, irradiados a partir do centro.

Peças Vendidas
Nº de referência da peça: 
B193

Excepcional par de castiçais neoclássicos em prata portuguesa transfurada, do ilustre prateiro lisboeta António Firmo da Costa. Fuste elegante, de fileiras lisas repousando em oito pétalas gomadas rematadas por pequenas contas. Copo com a mesma decoração separado do fuste por bolachas.

Nó elíptico com aplicação de duas reservas, uma com monograma gravado e arandelas rendilhadas com o mesmo formato. Assentes em base ovalada, vazada e serrada em gradinha, alteada por quatro pés triangulares salientes terminando em bola.

Peças Vendidas
Nº de referência da peça: 
B243

Salva redonda de dezasseis gomos em prata portuguesa, séc. XVII / XVIII. Em prata martelada, tem o centro liso terminando em moldura alteada a partir da qual se desenvolvem os gomos côncavos.

Peças Vendidas
Nº de referência da peça: 
D777

"Sem Título"

 

Peças Vendidas
Nº de referência da peça: 
C536

Par de potes com tampa, em forma de balaústre, com colo curto rematado por rebordo arredondado, em porcelana branca com decoração azul-cobalto e revestido de vidrado levemente azulado, do período Kangxi. O bojo ostenta, uma decoração com padrão cerrado de elementos vegetalistas e com grandes flores onde se destacam crisântemos e peónias – a rainha das flores, simbolizando a Primavera, associada à boa sorte e riqueza.

Peças Vendidas
Nº de referência da peça: 
A027

Raras arquinhas açoreanas de tampo liso. Corpo decorado em círculos secantes moldurados com tremidos e duas gavetas almofadadas com decoração de tremidos. Pés de bolacha finamente torneados. Interiores em pau‑santo; fundos do interior das arcas com respiradouros em forma de flor entalhada e vazada. Ferragens em latão recortado.

Peças Vendidas
Nº de referência da peça: 
A346

Harmoniosa banca ou mesa indo-portuguesa do séc. XVII, de duas gavetas e travejamento duplo, em teca com embutidos em ébano. Tampo rectangular saliente, uma característica comum neste género de mobiliário, com elegante decoração, dada pela simplicidade dos embutidos. Ao centro formas geométricas e vegetalistas, parecendo delinear uma roseta e caules com folhas estilizadas, motivo este que se repete nos cantos garantindo a continuidade com o padrão vegetalista do centro.

Peças Vendidas

Páginas